Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Guarda-Mor - MG e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
Prefeitura Municipal de Guarda-Mor - MG
Acompanhe-nos:
Rede Social Instagram
Rede Social Facebook
Legislação
ARRASTE PARA VER MAIS
LEGISLAÇÃO
Atos relacionados
INTERAÇÃO
Anotação
Marcação
BUSCA
Expressão
Artigo
EXPORTAÇÃO
Código QR
Baixar
Compartilhar
COLABORE
Reportar Erro
QRCode
Acesse na íntegra
LEI ORDINÁRIA Nº 760, 24 DE OUTUBRO DE 2000
Assunto(s): Comissões Municipais
Em vigor

CRIA, NO ÂMBITO DO EXECUTIVO MUNICIPAL, A COMISSÃO DE CONTROLE INTERNO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

A Câmara Municipal de Guarda Mor-MG., por seus representantes legais, aprova e Eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

Art 1º - Fica criada, na estrutura administrativa municipal, a Comissão de Controle Interno ligada ao Gabinete do Executivo, responsável pelo gerenciamento e fiscalização interna dos atos administrativos de natureza contábil, financeira, orçamentária, operacional, patrimonial e administrativa.

Parágrafo 1° - Fica a administração, evidenciada a economicidade e o interesse público, autorizada a contratar empresa ou profissional especializado para realização do gerenciamento e fiscalização interna dos atos administrativos citados no caput deste artigo, caso em que a Comissão de Controle Interno deverá acompanhar os trabalhos e levantamentos desenvolvidos, atestando os pareceres e relatórios porventura emitidos, exercendo supervisão direta sobre os mesmos.

Art 2º - Compete à Comissão e/ou empresa/profissional especializado contratado, além das atribuições estabelecidas no artigo 74 da Constituição Federal, examinar e emitir relatório quanto:

I - Aos procedimentos administrativos de realização da despesa pública, em qualquer das suas fases (empenho, liquidação ou pagamento), verificando sua adequação às normas legais pertinentes;

II - Aos procedimentos administrativos de efetivação da receita pública, em qualquer de suas fases (lançamento, cobrança, arrecadação e fiscalização), verificando sua conformidade e legislação vigente;

IV - As prestações de contas submetidas à apreciação da Secretaria Geral, em especial as de adiantamento, concluindo quanto à legalidade dos documentos apresentados;

V - A análise da Prestação de Contas anual em face das normas contábeis e exigências legais, com a consequente emissão de relatório de análise do Controle Interno a ser entregue ao Tribunal de Contas do Estado juntamente com a Prestação de Contas.

§  1° - No exame dos procedimentos administrativos da realização da despesa, as atividades a serem desenvolvidas consistirão, principalmente, em:

a - Verificar se foram satisfeitas todas as exigências legais quanto ao empenhos;

b - Certificar-se da liquidação das despesas na ordens de pagamento;

c - Constatar a efetivação dos pagamentos junto à Tesouraria.

§ 2° - No exame dos procedimentos administrativos de efetivação da receita, as atividades a serem desenvolvidas consistirão, principalmente, em :

a - Verificar os procedimentos administrativos de lançamento dos tributos e sua regularidade frente às normas vigentes;

b - Examinar os sistemas de arrecadação de tributos, constando suas adequações às finalidades a que foram instituídos;

c - Acompanhar os procedimentos de fiscalização de tributos visando a sua observância à legislação vigente;

d - Controlar o andamento dos processos de lançamento da execução de serviços e da contribuição de melhoria determinando medidas para sua rápida tramitação.

§ 3º - No exame dos procedimentos de contabilização dos atos e fatos administrativos, as atividades a serem desenvolvidas consistirão, em:

a - Verificar a consistência dos lançamentos contábeis efetuados;

b - Observar a regularidade da escrituração contábil em face dos preceitos legais pertinentes;

c - Examinar o cumprimento das formalidades legais, nos prazos previstos em lei, quanto à elaboração e encaminhamento dos relatórios contábeis exigidos pelos órgãos de controle externo da administração;

d - Colaborar no estudo de soluções de problemas contábeis, emitindo pareceres a respeito.

Art 3º - A Comissão será composta de 03 (três) servidores, preferencialmente efetivos, que tenham habilitação legal ou experiência funcional em pelo menos uma das áreas elencadas no artigo 1° desta Lei.

Art 4º - A Comissão encaminhará, periodicamente, à Secretaria Geral e a Assessoria Jurídica do Município, informações sobre irregularidades porventura constatadas nos procedimentos examinados, sob forma de relatórios.

Art 5º - À Comissão caberá designar, com a autorização do Secretário Geral, servidores sob a sua supervisão, com a finalidade de proceder a exames em procedimentos da administração direta e /ou da funcional, ou, no caso de contratação de profissional especializado, tal procedimento deverá constar em contrato.

Art 6º - No exercício de suas atribuições, a Comissão, juntamente com os profissionais contratados, se for o caso, poderão requisitar informações, documentos e processos administrativos de qualquer unidade administrativa, bem como intimar qualquer servidor a prestar esclarecimentos que se fizerem necessários para a elucidação dos procedimentos administrativos.

Art 7º - O Secretário Geral e os Diretores de Departamentos darão total apoio aos trabalhos da comissão e poderão delegar aos servidores componentes da mesma, ou aos profissionais contratados, a execução de outras atividades, não elencadas no artigo 2°, desde que correlacionadas às competências fixadas nesta Lei, ou em contrato administrativo, no caso de empresa ou profissional contratado.

Art 8º - Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Guarda Mor, 24 de Outubro de 2.000

 

Rômulo Ferreira da Silva
-Prefeito Municipal-

Emílio Guimarães Campos Sobrinho
-Secretário Geral-

* Nota: O conteúdo disponibilizado é meramente informativo não substituindo o original publicado em Diário Oficial.
Atos relacionados por assunto
c
Ato Ementa Data
LEI ORDINÁRIA Nº 667, 08 DE MAIO DE 1997 Cria Cargos Públicos de Provimento em Comissão Fixa-lhes a Remuneração e dá outras providências 08/05/1997
LEI ORDINÁRIA Nº 496, 03 DE MARÇO DE 1992 Dispõe sobre o reajustamento da tabela de vencimentos dos cargos efetivos e de provimento em comissão do poder executivo Municipal 03/03/1992
LEI ORDINÁRIA Nº 486, 28 DE OUTUBRO DE 1991 Dispõe sobre reajustamento da tabela de vencimentos dos cargos efetivos e de provimento em comissão do poder executivo municipal 28/10/1991
LEI ORDINÁRIA Nº 480, 28 DE MAIO DE 1991 Dispõe sobre o Reajuste da tabela de vencimentos dos Cargos efetivos e de Provimento em comissão do Poder Executivo Municipal 28/05/1991
LEI ORDINÁRIA Nº 478, 28 DE ABRIL DE 1991 Dispõe sobre reajustamento da tabela de vencimentos dos Cargos efetivos e de provimento em comissão do poder Executivo Municipal 28/04/1991
Minha Anotação
×
LEI ORDINÁRIA Nº 760, 24 DE OUTUBRO DE 2000
Código QR
LEI ORDINÁRIA Nº 760, 24 DE OUTUBRO DE 2000
Reportar erro
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Seta
Versão do Sistema: 3.4.0 - 05/02/2024
Copyright Instar - 2006-2024. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia